A cidade profetizada

         A bíblia relata profecias proferidas a respeito algumas cidades, profecias que viriam acontecer nos dias finais tempo do fim, pois nestas haverão de ocorrer fatos que terão repercussão em todas as nações e, dentre elas, podemos citar três cujos fatos terão forte influência no modo como a humanidade se relaciona com Deus, pois a partir destes os moradores da terra passarão a possuir uma consciência mais fundamentada de sua fé.
      Dentre estas três (ou quatro) cidades, duas existiam quando os fatos relativos a elas foram profetizados e outra e última teria sua própria construção profetizada e sintetizaria a absorção desta nova consciência. Uma delas tem o seu nome revelado e as duas restantes serão identificadas devido aos fatos escatológicos que nelas ocorrerão, os quais estão descritos na Bíblia.
        Diversos fatos ocorridos no último século apontam que os dias finais do tempo do fim já se iniciaram, bastando tão somente que passemos a ler a bíblia, sobretudo os livros proféticos. A cidade que cujo nome é revelada é Damasco, na Síria e a profecia relativa a ela está em Isaías 17:1. Damasco é a mais antiga cidade continuamente habitada e embora tivesse sido ocupada diversas vezes, nunca deixou de ser um centro comercial e cultural importante e os fatos que vemos hoje nesta cidade jamais tiveram uma conotação política, econômica e religiosa tão fortes, onde interesses das grandes potências econômicas e militares e disputas religiosas entre correntes do islamismo se mostram muito acirradas, causando a esta cidade uma destruição inédita.
    Outra cidade profetizada para o tempo do fim é a "Grande Babilônia", uma rica e opulenta cidade, com impressionante poder econômico e político e também outra que está envolta em sete montes e que abriga a "Grande meretriz". A maioria dos intérpretes bíblicos identificam esta cidade como Roma.
    Dentre todas as profecias proferidas sobre cidades construídas pelo homem, todas já existiam e várias já se cumpriram, com exceção destas três (ou quatro), contudo a última destas três (ou quatro) não existia e os fatos que nela ocorrerão dará início ao surgimento da besta que surge da terra e farão eclodir os fatos finais que ocasionarão a volta de Cristo. Os nomes pelos quais é identificada sugere o que existe de mais vicioso no gênero humano: a carnalidade e a idolatria, por isso foi chamada pelos sugestivos nomes de Sodoma e Egito.
    Como afirmamos em outras postagens deste blog, nenhuma cidade da antiguidade que ainda exista nos dias atuais pode reunir estes dois vícios num nível que desperte a atenção mundial, de fato carnalidade e idolatria parecem ser dois extremos totalmente diferentes, pois a carnalidade traz a ideia de uma sede excessiva aos prazeres da carne, enquanto que a idolatria sugere um desejo cego e obsessivo a falsos deuses. Como um lugar assim não existia, deveria ser construído e, por ser esta cidade parte de uma profecia escatológica, não é de se estranhar que sua construção fosse profetizada também - não há registro de que alguma cidade surgida depois de Cristo teve sua construção profetizada, com exceção da capital brasileira: Brasília (ver também nosso texto Quem são as duas testemunhas?).

         Em Apocalipse 11:8 esta cidade é citada como o local onde jazerão os corpos das duas testemunhas de Cristo. Sodoma representa toda espécie de degradação moral, corrupção, sensualismo, violência, etc, enquanto Egito é representado pela escravidão da idolatria. Sodoma foi destruída por Deus devido aos muitos pecados de sua população e o Egito vivenciou as dez pregas enviadas por Deus, sendo cada uma delas desafiando uma ou mais divindades deste país, que hoje confessa sua fé no Deus de Abraão, Isaque e Jacó, através do islamismo.
       Que elementos dispomos para que possamos identificar Brasília como a Sodoma e Egito de Apocalipse 11:8? Brasília é a capital do Brasil e assim, podemos entender que estes dois termos espirituais se estendem também ao país, assim vamos voltar à época do descobrimento ocorrido em 1500 DC. A Europa sofria com o bloqueio mercantil do Mar Mediterrâneo por parte dos sarracenos (muçulmanos), que dominavam o Império Otomano e era então necessário descobrir novas rotas comerciais para a Índia e diz a tradição que fortes ventos desviaram a esquadra comandada por Pedro Álvares Cabral em direção ao oeste. Portugal era uma das poucas potências marítimas da época com capacidade técnicas de contornar o temido Cabo das Tormentas, que o rei de Portugal rebatizou como o Cabo da Boa Esperança, no extremo sul da África. 
       Os fortes ventos desviaram a esquadra portuguesa em direção à atual América do Sul, precisamente na localidade que hoje se chama Porto Seguro, no estado da Bahia. As velas das embarcações exibiam a figura de uma grande Cruz de Malta e eram acompanhadas de um padre. Primeiramente os portugueses imaginaram terem descoberto uma ilha e a chamaram de Ilha de Vera Cruz, mas logo descobriram que se tratava de um novo continente e então chamaram-no de Terra de Santa Cruz e logo que desembarcaram, ergueram um altar e celebraram uma missa, sendo observados pelos nativos. 
        Os portugueses criaram um pequeno núcleo neste local e passados algumas décadas iniciaram o processo de colonização, sendo que a primeira capital desta nova terra que passou a se chamar Brasil recebeu o nome de Salvador, portanto percebe-se que desde o princípio este país teve uma forte influência cristã e desde sua descoberta, parece ter uma destinação espiritual.
       O Brasil ainda era uma monarquia, quando em 1883 foi dada a visão ao padre italiano Giovanni Bosco sobre a criação de uma grande cidade entre os paralelos 15 e 20 Sul. Vamos transcrever aqui uma parte da profecia que pretendemos estudar melhor: "Quando escavarem as minas escondidas no meio destes montes, aparecerá aqui a grande civilização, a terra prometida, onde jorra leite e mel. Será uma riqueza inconcebível."
      Brasília está localizada no planalto central do Brasil, entre os paralelos 15 e 16 e nunca houve ou existe qualquer atividade mineradora nesta região, nem qualquer estudo que aponte a existência de minerais preciosos, logo devemos concluir que as minas a que se referem a profecia são espirituais, assim como foi sua construção, assim como parece ter sido a descoberta do Brasil.
    Temos duas profecias que se referem à cidade de Brasília, uma com quase dois mil anos entregue ao apóstolo João e esta do século 19 entregue a Dom Bosco, no entanto aparentemente ambas nos parecem contraditórias, pois os termos Sodoma e Egito nada se assemelha com uma cidade onde jorra leite e mel.


       A profecia de Dom Bosco, contudo impõe uma condição para que esta cidade jorre leite e mel, que é: "quando escavarem as minas escondidas no meio destes montes". O eldorado está nos montes e as minas devem ser escavadas, mas que montes, se a cidade é um planalto e que minas, se nunca se descobriu qualquer riqueza mineral nestas terras?
  A profecia bíblica diz que cidade se chama espiritualmente Sodoma e Egito e assim, de igual modo devemos interpretar a profecia de Dom Bosco: espiritualmente, então os termos escavar e montes, devem ser interpretados como descobrir e desafios, respectivamente. Já que escavamos o sentido espiritual destas duas profecias, cabe agora conciliá-las.
        Vamos começar a análise espiritual da profecia bíblica de Apocalipse 11:8, com os termos Sodoma e Egito, aplicando-os à realidade da cidade de Brasília, que por ser a capital representa todo o Brasil. Desde que nasci tenho me deparado com os termos crise, corrupção e carnaval. Tenho dito em postagens anteriores que o Brasil tem uma riqueza natural inigualável, porém não se teve um zelo igual no trato da coisa pública e social.

                                       
Governos mais corruptos da história do Brasil, desviaram mais USD1.000.000.000,00
       
     Os casos de corrupção se repetem governo após governo, desviando recursos que poderiam proporcionar maior bem estar à população e entregando-os na mão de pessoas corruptas, sem caráter e imorais.


     Muitos apontam o calor tropical para justificarem a exposição de corpos nus e seminus em locais públicos e não existe qualquer orientação positiva nas escolas públicas quanto aos bons costumes, onde é comum o erotismo, o uso de drogas e a violência. O famoso carnaval brasileiro é mundialmente conhecido não por apresentar a cultura do local mas sim a nudez e nesta época do ano cresce a prostituição, furtos e violência.
                                       

                                              
cenas do carnaval do Rio de Janeiro


                 O termo espiritual "Egito" é percebido na história da construção da cidade, quando o então presidente se via incumbido de recriar uma cidade planejada e não concluída do Egito, a qual tinha segundo ele, tinha por missão recriar, diversos edifícios locais possuem forma piramidal (Ver os links: http://cutucandooncacomvaracurta.blogspot.com.br/2011/02/o-futuro-da-humanidade-e-civilizacao.html e também http://naohareligiaosuperioraverdade.blogspot.com.br/2012/02/akhenaton-o-egito-e-brasilia.html, mas também este termo pode ser interpretado pelo sincretismo religioso existente no Brasil, com a existência de diversos deuses de seitas africanas trazidas pelos escravos e que ainda hoje permanecem operantes.

        O Estado da Bahia sediou a primeira capital brasileira e por isso recebeu o maior contingente de escravos africanos, que chegando aqui não abandonaram seus costumes religiosos e estes costumes foram passados para as demais gerações, embora hoje muitos de seus descendentes tenham abraçado a fé cristã.
Deuses da cultura afro-brasileira

      A cidade que espiritualmente se chama Sodoma e Egito precisa aprender a escavar as minas e tomar posse das promessas que a ela foram proferidas por Deus. O povo cristão, que são os verdadeiros guardiães destas promessas devem entender o sentido espiritual desta cidade e quanto todos os fatos a ela prometidos ocorrerem ela será eternamente lembrada como o local que Deus se utilizou para mostrar a todos os povos da terra que Ele é o Deus dos deuses, o Rei dos reis e o Senhor dos senhores e inevitavelmente uma nova consciência de paz, fraternidade e justiça surgirá, dando origem a uma civilização global consciente de seus direitos e deveres em relação ao Criador de toda a existência.
            
            Por Nelsomar Correa, em 18 de janeiro de 2016.


 
            
         

Nenhum comentário:

Postar um comentário